Vozes da Vila Prudente é citado em tese de mestrado na França

Por Cesar Gouveia - 16/04/2015 - 16:51

Olha que bacana! Recentemente o fundador do Vozes das Comunidades da Vila Prudente, Cesar Gouveia, conversou sobre empreendedorismo social no Brasil com a mestranda francesa Marion Schruoffeneger.

Ontem recebemos um e-mail dela nos informando que sua tese estava terminada e que o fundador, a nossa coordenadora de marketing e publicidade; Mayris Cristina, e nosso coordenador de operações Gustavo Souza foram citados em um dos capítulos.

A tese está escrita em francês, mas com a ajuda do Google Tradutor conseguimos em que se dá a citação. Confira:

Cesar Gouveia, fundador do jornal Vozes das Comunidades da Vila Prudente

Cesar Gouveia, fundador do jornal Vozes das Comunidades da Vila Prudente

Cesar Gouveia: Vozes das Comunidades

Cesar Gouveia lançou o jornal comunitário “Vozes das Comunidades da Vila Prudente” falando para as pessoas das comunidades de Vila Prudente, São Paulo. Ele deseja proporcionar o acesso à informação de qualidade, promover atividades locais e mobilizar os jovens a tomarem medidas concretas para as suas comunidades.

Sua jornada pessoal

Cesar tem 24 anos e vem da maior comunidade da Vila Prudente, na zona leste de São Paulo. Seus pais, a partir do estado de Alagoas, instalou-se na comunidade há 30 anos. Cesar é o primeiro filho e único rapaz na família, tem duas irmãs, uma de 10 e 21 anos. Sua família pertence à classe C, é uma família “rica” à escala da comunidade. Sua casa não está em situação precária, eles têm acesso a água e eletricidade, vivem em um bairro bastante desenvolvido da cidade.

É uma pessoa caseira, não saio muito na favela, no entanto, ainda influencia seus amigos que pegam estradas ruins, outros que são envolvidos em crimes tráfico de drogas. Ele investe em projetos sociais, em especial no serviço social local que reúne jovens que tomam ações concretas, como campanhas doações de alimentos para os desabrigados. Segundo ele, os grandes desafios sociais da Vila Prudente são mostrar aos jovens com menos de 17 anos de idade que é importante mobilizar para as suas comunidades e permitir que as pessoas vivam com dignidade, com acesso ao bens, serviços básicos e uma situação decente.

Cesar está atualmente fazendo seus estudos para obter graduação em jornalismo no de final 2015. Estuda na Faculdade de Tecnologia e Comunicação – FAPCOM, em São Paulo. Em paralelamente, foi estagiário em comunicação para o projeto Conectados, da Fundação Nossa Senhora Auxiliadora do Ipiranga – FUNSAI, e recentemente foi contratado efetivamente como auxiliar de coordenação deste projeto.

Durante seus primeiros anos de faculdade, ele hesitou quanto ao campo do jornalismo em que ele queria se especializar. Até que começa amizades com pessoas que ele considera inspiração, que realizam projetos sociais de educação e formação profissional. Depois de ter acompanhado o desenvolvimento de alguns desses projetos, ele percebe que quer fazer algo para ajudar a sua própria comunidade de Vila Prudente. Além disso, Cesar torna-se consciente de falta de informação que o sentimento de todos os habitantes de Vila Prudente sobre o construção de monotrilho atrás da favela e da situação das famílias que serão realocadas. Ele sente a necessidade de informações para as pessoas da comunidade, sobretudo quanto ao que está acontecendo em sua própria comunidade. “O projeto jornal da comunidade Vozes das Comunidades, nasceu interação com pessoas inspiradoras que eu conheci durante meus estudos, minha desejo de criar um impacto positivo, e da falta de informação e mobilização em povo de Vila Prudente. “

As Vozes das Comunidades, do Projeto

O projeto começou em março de 2014, como um blog que retransmitida em redes sociais seus conteúdos. A primeiro edição em papel do jornal da comunidade foi distribuído em março de 2015.

Através do jornal, César quer mobilizar os jovens para realizar ações concretas na comunidade e desempenhar um papel no seu desenvolvimento. Seria também uma maneira de gerar rendimento para as pessoas que contribuem para o jornal, e fortalecer a rede de organizações da Vila Prudente incluindo Movimento Social para a Defesa dos Favelas (MDF), a ONG Educação “Arca do Saber” e o Centro Cultural.

O Vozes das Comunidades da Vila Prudente fornece várias informações sobre a comunidade: ações e projetos concluídos, os problemas sociais feitos pela comunidade, retratos de pessoas ou líderes de organizações, eventos, solicitação de assistência ou arrecadação de valores financeiros para as pessoas em situações precárias, anúncios de empresas locais.

Não há uma linha editorial real no Vozes das Comunidades, aparece por vezes como um veículo de comunicação denunciante problemas sociais e de saneamento básico nas comunidades da Vila Prudente. A equipe do jornal é composta por mais duas pessoas efetivamente: Mayris Costa, 21, que estuda Relações Públicas e é responsável pelo marketing e publicidade do jornal, e Gustavo, 18 anos, que está prestes a terminar o ensino médio.

Atualmente, o trabalho deles três é voluntário, além de seus estudos e profissões respectivamente. Vozes das Comunidades da Vila Prudente não tem formação legal, o jornal é ainda é informal, ou sem CNPJ. No entanto, Cesar tem a intenção de obter Micro Empreendedor Individual (MEI) nos próximos meses.

Seu modelo de negócios

Os canais de vendas / comunicação:

Como o blog e jornal são livres, é possível consolidar canais de vendas e comunicação. WordPress blog e redes sociais foram os primeiros canais utilizados. A internet é muito utilizada na Vila Prudente, mas muitas vezes as pessoas a usam para redes sociais.

A primeira ação foi comunicar sobre sua página no Facebook e blog para atrair e consciência. Agora há também a edição em papel do jornal que tem como objetivo promover o jornal sobre a realidade para mostrar às pessoas que existe um projeto da comunidade e que cada um deles são parte do jornal.

A equipe de Vozes das Comunidades não fez estratégia de comunicação real, de boca em boca desempenha um papel vital. Nenhum dos integrantes tem uma formação comercial ou empresarial, eles têm algum conhecimento e estratégia de marketing, mas eles aprendem especialmente a partir de vídeos encontrados na internet e dos aprendizados da vida.

Tipos de cliente:

Aqui se entende leitores e simpatizantes. O primeiro a apoiar e para participar do projeto foram as organizações sociais de Vila Prudente e comerciantes locais com que o jornal está associado. A meta agora é alcançar as pessoas que não estão necessariamente envolvidos no desenvolvimento da comunidade, mas especialmente para chegar a todos os jovens de Vila Prudente.

Produção:

Cesar trabalha principalmente com Mayris e Gustavo. De tempos em tempos os voluntários realizam as fotografias e algumas histórias. Um amigo ajudou a edição do layout de publicação impressa.

Parcerias:

Ele estabeleceu parcerias com varejistas a nível local que se tornaram anunciantes no blog e na edição em papel do Vozes das Comunidades. Há outros parceiros, mas gostaria de desenvolver com organizações relacionadas à educação.

Proposição de valor:

O único concorrente do Vozes das Comunidades é o jornal “Folha da Vila Prudente”. Este é feito por jornalistas que não vivem em comunidades. Os registros mostram o que acontece no bairro da Vila Prudente, porém não há uma sessão para as comunidades. O Vozes das Comunidades querem mostrar a evolução positiva das comunidades, é o primeiro jornal que nasceu na comunidade, para a comunidade e é feito pelos jovens da comunidade. “

As receitas e os custos:

As receitas são de parcerias com comerciantes locais da Vila. A médio prazo Cesar espera obter renda dando palestras. O site utilizado atualmente é gratuito e eles usam seus próprios dispositivos pessoais: telefone celular, câmera, câmera, computador.

O apoio do projeto e financiamento

Eles não recebem o apoio de qualquer organização até o momento. Há um projeto escrito que ainda não está completo o suficiente para apresentar em editais ou aplicar em programas de incubação.

O jornal precisa ser legalmente registrada para elegíveis para outros financiamentos.

As dificuldades

De acordo com Cesar, dificuldades fiscais são os principais desafios para colocar um projeto prática de negócios. Uma vez que o negócio legalizado, normas e responsabilidades fiscais também são muito complicados de seguir.

Para o Vozes das Comunidades o mais difícil é conseguir financiamento. Isto é particularmente difícil para as organizações sociais, especialmente para a de Cesar, um jornal comunitário que não chama muita atenção às vezes. “Um jornal pode ser considerado como sem importância para muitos e, neste caso, é muito mais difícil de ganhar credibilidade e de obtenção de financiamento. “

O seu impacto social e ambiental

Desde o lançamento do blog de março 2014, o Vozes das Comunidade tem sido bem recebido na comunidade. O seu impacto é variável e depende da frequência de novos artigos postados.

“O problema é que não temos tempo para fazer só isso, cada um de nós tem um trabalho para ganhar dinheiro”. Em março de 2015, a primeira edição de jornal foi impresso em 3000 cópias, representa 3.000 pessoas diretamente. As comunidades de Vila Prudente representam cerca de 40.000 pessoas em todas elas, a que Cesar mora tem cerca de 7.000 pessoas.

“Sem dados oficiais, estima-se que 3 pessoas por domicílio, portanto, indiretamente afetadas entre 10 e 15 mil pessoas.”

Esta primeira edição recebeu inúmeros elogios dos moradores da Vila Prudente, houve uma recepção muito positiva. “Fiquei muito surpreso!”. Nada ainda mudou realmente com a distribuição, foi realizada recentemente, mas agora as pessoas sabem que têm representantes. “A subprefeitura entrou em contato conosco e eles agora estão tentando definir um compromisso”.

Finalmente, os jovens chegaram a conhecê-los com algumas ideias e eles serão incluída nas atividades do jornal. É possível dizer que Vozes das Comunidades, contribui para o surgimento de uma consciência política e cívica, e uma vontade por parte dos os moradores a se envolver na vida da comunidade.

Por um ano, ele gostaria de mais três pessoas, gerar renda a partir de projetos promovidos pelo jornal e quer chegar a 10 mil pessoas diretamente, especialmente os jovens.

As suas perspectivas de desenvolvimento

Para preparar o projeto da segunda edição a equipe do Vozes da Comunidade organizará uma reunião com os primeiros anunciantes para mostrar o impacto da primeira edição e o número de pessoas afetadas. Eles vão, assim, ser capaz de fazer um plano de publicidade mais detalhada. Eles querem que o jornal seja bimensal e está disponível on-line todos os dias. A próxima versão deve ser lançado em maio

Cesar quer acelerar o processo para se tornar MEI e assim obter status legal e disponibilidade de financiamento.

Cesar tem outros projetos para as comunidades de Vila Prudente a fim de continuar sua missão de informação e educação nas áreas de tecnologia e profissionalização. Atualmente, ele está à procura de pessoas que estão dispostas a dar cursos de comunicação para jovens de 15 a 29 anos.

Seu sonho:

“Mobilizar os jovem da Vila Prudente e fazê-los perceber que eles não precisam do crime para se tornar alguém importante na comunidade. Eu perdi um monte amigos. Hoje eu não quero ver os jovens da comunidade desaparecer como meus amigos”.

Anúncios

Vera Cruz completa 55 anos

Hoje mais um clube entra para o hall da fama da Várzea

Por Cesar Gouveia - 10/04/2015 - 08:30

Fundado em 10 de maio de 1960 o Vera Cruz nasce para integrar os moradores da Favela de Vila Prudente e mostrar o que a comunidade tem de melhor: o futebol.

10995705_520686378080027_3068796651647415318_n

Um clube que passa o amor pela camisa de geração para geração.

10473983_526834860751623_5267668541699920502_n

10370978_333284696818665_4576247250837340015_n

Atualmente presidente do clube, Rodovalho Espínola, considera a comemoração do aniversário da instituição um marco na comunidade. “Promovemos um grande evento para os moradores da favela e de fora também”, diz.

Para comemorar mais um aniversário o Vera Cruz vai realizar a festa em sua sede, na Av. Professor Luiz Inácio de Anhaia Mello, 1447, às 14 horas.

Atrações especiais e ao vivo.

Douglas Junior, atleta do time atualmente conta o que o Vera Cruz significa para ele.

O Vera pra mim é praticamente tudo. Todas as semanas, desde os 15 anos, esperando o final de semana pensando nos jogos que tem, pensando o que fazer, pensando como posso fazer o gol, criando a jogada na mente, a comemoração. É uma emoção quando entro no campo, me cobro muito porque sei da responsabilidade que é vestir essa camisa vitoriosa.

Samuel da Silva também comentou sobre o que o Vera significa em sua vida.

O Vera é alegria, diversão, oportunidade, aprendizado, visão. O Vera é um time amador que me ensinou muito de verdade. Sou grato por fazer parte da história do Vera Cruz!

Descaso com o lixo

Por Cesar Gouveia 07/04/2015 - 09:00

Parte dos moradores reclamam da desconsideração de alguns outros com os problemas de lixo

Por Cesar Gouveia

Desde o dia 22 de março passado moradores da rua da light estão convivendo com a falta de colaboração de alguns moradores do Favelão com o recolhimento do lixo que é produzido em casa.

Lixo é juntado na parede da AES Eletropaulo

Lixo é juntado na parede da AES Eletropaulo

Através de um morador a denúncia chegou à equipe do Vozes que conversou com alguns moradores sobre este problema. Mesmo com as caçambas de coleta é possível ver que alguns moradores ainda não conseguem entender a necessidade de se colocar o lixo no lugar certo. Rener Soares diz “só 10% colabora” com o recolhimento correto.

No local é possível ver claramente quatro unidades de coleta que, normalmente, estão cheias por conta da demanda.

IMG_20150328_111921327

Foto: Cesar Gouveia

O comerciante Benjamin Ferreira, 35, mora bem próximo ao local. “É complicado, porque depois começam a surgir ratos, insetos e o cheiro ruim. Para o pessoal que mora longe é ‘tranquilo’, né? Pra gente da frente não”, diz.

A moradora Raquel Diley, 29, conta que fica mal pela falta de consideração. “Também me deixa mal”, conta.

CATA-BAGULHO

Entramos em contato com a subprefeitura através do assessor Klaus, na segunda-feira, 06, e solicitamos um caminhão do Cata-Bagulho da Prefeitura para a retirada do montante de lixo e estamos aguardando a resposta.

 Publicidade

boca de fulo

 

Páscoa no Favelão

Grupo promove páscoa para crianças do Favelão

Por Cesar Gouveia - 05/04/2015 - 12:30

Moradores e torcedores do Palmeiras promoveram na manhã deste domingo de páscoa a entrega de 380 ovos para crianças do Favelão.

A entrega deu início às 11 horas da manhã no Vera Cruz FC e contou com mais de 20 voluntários dentre eles alguns próprios moradores da comunidade.

_DSC02601

_DSC02651

_DSC02571