Jovem suíça mostra no exterior potencial empreendedor na favela da Vila Prudente

Por Cesar Gouveia - 30/09/2015 - 12:10

Juliane, de 23 anos, veio à São Paulo para realizar sua pesquisa para tese de graduação sobre empreendedorismo na favela. A jovem, com índice de aprovação máxima, mostrou na Suíça que os moradores da favela de Vila Prudente têm traços empreendedores e inovadores.

No estudo iniciado em julho deste ano Juliane buscou mostrar os negócios que surgem na favela, quais suas possibilidades de crescimento e dificuldades. De acordo com ela, a ideia para além do estudo é que os empreendedores tenham consciência do poder que seus negócios tem.

Os empreendedores discuntindo soluçôes para fortalecer o empreendedorismo na comunidade.

Os empreendedores discutindo soluções para fortalecer o empreendedorismo na comunidade.

A suíça garante que o potencial dos empreendedores é enorme, e diz que seu sonho é “que depois de dezembro vocês [empreendedores] vão continuar a trabalhar juntos para ir em busca de mais conhecimento e incentivas uma boa economia pela favela”, sonha ela.

Para finalizar a estudante considera “muito importante pensar no futuro e ter objetivos concretos”, mas que só o empreendedor os sabe.

REDE DOS EMPREENDEDORES DA FAVELA DA VILA PRUDENTE – Juliane em paralelo aos estudos de sua tese, Juliane iniciou na Vila Prudente uma série de reuniões com os empreendedores que entrevistou para apresentar a eles o poderio e a oportunidade de uma rede de negócios na favela, que está sendo pensada em conjunto com moradores, empreendedores e Juliane. Os encontros tem acontecido duas vezes no mês, na Arca de Noé, às 18h30, e cada novo empreendedor é bem-vindo, pois segundo a suíça “a rede acredita que gera mais uniao, mais força para crescer, inovar e mudar o cenário econômico da Vila Prudente”.

Anúncios

Reunião Sobre Audiência Pública da Operação Urbana nos Bairros do Tamanduateí

Publicado por Cesar Gouveia – 27/09/2015 – 8:50

Nesta próxima segunda-feira, 28, às 19h, acontece a reunião com os moradores dos bairros do Rio Tamanduateí sobre a Operação Urbana.

Com objetivo de conscientizar os moradores dessas áreas sobre o impacto que a Operação Urbana tem sobre a vida dos moradores das favelas de Vila Prudente o Movimento de Defesa dos Favelas (MDF) se reunirá com moradores da Viela da Sabesp (Rua Henry Ford), Ilha das Cobras (Rua João Afonso) e Portelinha (Rua Dianópolis com Rua Pacheco e Chaves).

Movimento de Defesa dos Favelados

Na Igreja da Comunidade São José Operário, que fica na Rua da Igreja, na Favela de Vila Prudente.

É importante a mobilização para resistir a um projeto que põe em risco a moradia nessas áreas.
Mais informações: 96847-1173

Festival de futebol celebra 3 meses do projeto FUTVIDA Prudente

Por Vozes das Comunidades da Vila Prudente – 26/09/2015 – 19h50

Criado em julho deste ano o Projeto FUTVIDA comemorou hoje, dia 26, o terceiro mês de atuação com crianças e adolescentes da favela de Vila Prudente.

O projeto que tem como objetivo trabalhar a formação cidadã e educacional dos jovens através do esporte reuniu neste sábado, 26, mais de 85 crianças e adolescentes entre meninos e meninas de 8 a 18 anos no 1º festival FUTVIDA Prudente.

Professores, facilitadores e Jornal.

Professores, facilitadores e Jornal.

As disputas que foram ameaçadas pela chuva da madrugada e do início desse sábado só tiveram início às 13 horas porque os participantes do projeto insistiram com os facilitadores das atividades que a quadra semi degradada que utilizam estavam seca e não haveria possibilidade de machucar alguém.

Cesar Gouveia, 24, editor-chefe do jornal comunitário Vozes das Comunidades da Vila Prudente e líder do projeto conta que o festival teve todo esse atraso porque os professores e ele não tem uma estrutura ideal para as atividades. “É complicado, nós já solicitamos à subprefeitura de Vila Prudente atenção e reparação na estrutura, mas até agora nenhuma atenção foi nos dada”, disse ele.

Mesmo com as carências estruturais que o projeto tem, neste mês de setembro o projeto completou 3 meses atendendo a mais de 115 jovens.

“Nosso objetivo no momento é ter uma estrutura maior e melhor para atender esses jovens que estão conosco e outros que, infelizmente, não podemos receber agora”, contou o idealizador.

O festival teve o apoio da RV Gráfica-Comunicação, do Mercadinho do Benjamin, da Padaria Vitória e da Assessoria de Comunicação Comunitária Blessed Press. A organização foi do grupo Vozes das Comunidades da Vila Prudente.

Parte dos participantes e professores reunidos

Parte dos participantes e professores reunidos

Facilitador Leandro entrega medalhas

Facilitador Leandro entrega medalhas

Facilitador Ivanildo entrega medalhas

Facilitador Ivanildo entrega medalhas

Do aprendizado no Nordeste ao empreendedorismo em SP

Por Cesar Gouveia - Publicado por Mayris Costa em 24/09/2015 - 11h10

Saiu da capital cedo, sobreviveu diante das dificuldades no clima seco do nordeste e hoje gera renda e realiza sonhos com a Padaria Vitória

Criada em 2008 a Padaria Vitória está no setor de panificação, que hoje é um dos seis maiores segmentos industriais do Brasil. Cada vez mais modernas, as padarias estão se sofisticando e deixando de ser lugares exclusivos para a venda do tradicional pão francês e se tornando espaços amplos, confortáveis, com diversas opções de serviços e atendimento personalizado.

Atendimento personalizado

Atendimento personalizado

Na Vila Prudente, o conhecido Eliseu ousa diariamente em seu negócio e hoje é considerado o empreendedor local que mais tem qualificado seu espaço e pessoas na favela de Vila Prudente. Em seu expansivo negócio, os moradores da favela da Vila Prudente encontram qualidade e atendimento parecidos com o de grandes padarias, porém, seu diferencial é a geração de conhecimento e renda para jovens e desempregados da comunidade.

“Aqui não é só comprar o pão, o leite e acabou”, diz Eliseu. O estabelecimento que na principal rua de acesso à favela da Vila Prudente traz um modelo inovador para a região: a aposta no poderio das comunidades.

Treinamento intensivo de atendimento

Treinamento intensivo de atendimento

Como já dito pelo renomado empreendedor Renato Meirelles, as favelas do Brasil são um país à parte do Brasil. Em meio à recessão econômica mundial esse “país” vai movimentar mais de 18 bilhões de dólares e isso é um grande incentivo para os empreendedores comunitários não desistirem. Para Eliseu, o grande obstáculo que o empreendedor enfrenta são os “nãos” do começo. “São muitas pessoas falando que não dá certo, muitos “nãos”.

Mas as dificuldades não o pararam, ultrapassou e hoje ele conta com 4 colaboradores diretos, devidamente empregados, sonhando e oferecendo uma grande variedade de produtos. “O objetivo é atender a todos os clientes, mas também profissionalizar jovens e pessoas que estão procurando uma renda”, completa.

Para lidar com as incertezas Eliseu teve que estudar negócios, e até mesmo parar seu empreendimento por um período. Ele conta que nesse período refletiu e aprimorou suas ideias. “Serviu de aprendizado. Eu vi onde eu estava errando na prática e hoje coloco os ensinos aqui na nova Padaria Vitória”, disse.

11909885_911426512259779_736340590_n

O reconhecimento da qualidade dos seus produtos, atendimento e pães principalmente, estão lhe dando a possibilidade de expandir o espaço. A intenção do empreendedor é ainda neste ano ofertar os pães fabricados na própria Padaria. E finaliza dizendo ao público que “o objetivo é sempre agradar e ver o cliente feliz”.

Projeto de futebol para jovens busca apoio

Por Vozes das Comunidades da Vila Prudente

Com cerca de 120 jovens entre meninos e meninas o Projeto FUTVIDA Prudente fundado neste ano está à procura de parceiros para reforma de quadra

Resultado de promessa política, a área poliesportiva localizada atrás do viaduto Grande São Paulo, entre a avenida Dr. Francisco Mesquita e alça de acesso à João Afonso, na Vila Prudente, tem sido utilizada pelo jornal comunitário Vozes das Comunidades da Vila Prudente para que as crianças e adolescentes tenham ao menos um projeto que os contemplem com o incentivo ao esporte e à educação.

Jovens, educadores e Amigos da Várzea

Jovens, educadores e Amigos da Várzea

A quadra, sem infraestrutura, está sendo utilizada as segundas, terças, quartas e sextas-feiras à noite para promover a inserção do esporte para meninos e meninas entre 5 e 17 anos. Ao todo o projeto conta com três pessoas atuando integralmente com a ajuda dos próprios moradores e de amigos em rede social para financiar as atividades que tiveram início no último dia 20 de julho.

Leandro Silva, professor dos jovens, conta que o mais difícil é quando acontece jogadas nas linhas de fundo e a bola ultrapassa as grades caindo nas ruas e avenida próximas.”Nós tentamos não deixá-los irem buscar as bolas quando vai pra pista para que não aconteça um acidente, mas é difícil, a molecada corre muito”, disse.

Os organizadores do projeto recentemente promoveram uma campanha nas redes sociais para conseguir materiais esportivos para a própria iniciativa e para os jovens participantes. Um grupo de mobilizadores do futebol de várzea viu e fez doação de chuteiras, bolas, redes, coletes, calções e meias que foram distribuídos para os que mais necessitavam. Cesar Gouveia, editor-chefe do jornal e diretor do projeto, explica que a demanda é grande e as doações contemplou somente os que mais precisavam.

“Temos alguns meninos aqui que não tem condições nem de ter as três refeições por dia, quem dirá comprar uma chuteira? A doação do Amigos da Várzea foi importante, impulsionou a nós todos, mas a nossa necessidade hoje vai além disso”, enfatiza

Nenhum dos organizadores recebem recursos financeiros para continuar o projeto. Todos são voluntários e tem tentado apenas trabalhar com a subprefeitura de Vila Prudente para que eles promovam a reforma da quadra e que coloquem uma cobertura para que nos dias de chuva os treinos aconteçam.

“É complicado em dias de chuvas, pois temos um grupo no WhatsApp e os meninos ficam sempre perguntando se vai ter treino, mas em dias chuvosos não temos condições de colocar 40, 50 jovens na quadra com risco de tomar um raio”, conta Gouveia.

O projeto há alguns dias fez uma reunião com os pais para que todos estivessem cientes de que todos os dias de treino tem horários estabelecidos e que naquele período e no local de treino os meninos e meninas são de responsabilidade dos treinadores.

Necessidades

O número de crianças e adolescentes atendidos é grande para a quadra que já está se tornando pequena. Para Cesar Gouveia esse “problema” só mostra a necessidade que se tem de políticas públicas para os jovens. “A gente não esperava todo esse número de pessoas. Quando eu era mais novo, o mesmo Leandro iniciou um projeto na antiga quadra que tinha aqui e a quantidade não passava nem de 20 meninos”, conta ele.

11992020_905066646229099_156954718_n

Com a demanda cada vez maior, a necessidade do projeto tem sido uma cobertura da quadra para os dias de chuva, a reforma ou troca das grades, a reforma da pintura e do espaço para a prática de outras modalidades esportivas, e também a melhora da iluminação. Por isso, o jornal comunitário tem tentado entrar em contato com a subprefeitura de Vila Prudente/Sapopemba para ver o que podem fazer.

11994354_905066599562437_1486308330_n

Festival

Para comemorar os dois meses de projeto, no próximo dia 27 de setembro acontecerá o 1º Festival FUTVIDA Prudente para os participantes das atividades.

Para Cesar, o festival serve como mais uma maneira de incentivar os jovens à pratica esportiva e ao estudo.

“Nós já avisamos que quem não tiver notas boas na escola e um bom comportamento na rua, na escola e em casa não poderá participar”, disse.

O festival terá a participação de Raony Pacheco, narrador dos jogos do Juventus pela Web Rádio Moóca, para narrar a final dos meninos que valerá troféu e medalhas de ouro e prata.